Mercado Financeiro: Quais São Os Melhores Investimentos Existentes e Expectativa Para 2021

Em 2020, a taxa Selic atingiu uma queda histórica, ficando em 2% no mês de dezembro. Diversos investimentos de renda fixa que seguem a taxa Selic foram afetados e, com isso, houve uma debandada de investidores para a renda variável. De acordo com Luiz Barsi, o maior investidor individual do país, novos investidores ganham migalhas na bolsa. Afinal, o perfil das pessoas que fogem da renda fixa para a variável é tentar lucrar muito em pouco tempo, o que quase sempre dá errado ou traz pouquíssimos lucros. Barsi afirma que no Brasil não há uma cultura de investimento e que, por isso, há pouca chance de novos investidores conseguirem retorno real. Porém, você não precisa seguir a maré e agir como todos os novos investidores, não é mesmo? Com o objetivo de demonstrar todos os prós e contras do segmento financeiro, irei lhe mostrar quais são os melhores investimentos existentes e a expectativa para 2021:

Principais Investimentos de Renda Fixa:

Poupança: considerado o investimento mais famoso do país, a poupança é investimento simples de renda fixa, em que basta escolher um banco de sua preferência, apresentar alguns documentos e aguardar sua aprovação. Seu rendimento é baseado na Selic, ou seja, quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, o seu rendimento é de 0,5% ao mês mais a variação da TR. Já quando a Selic estiá igual a ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento é equivalente a 70% da Selic mais a variação da TR.
Letra de Câmbio: uma LC é um título de renda fixa em que você (pessoa física) empresta dinheiro para uma financeira, em troca do recebimento de juros. As Letras de Câmbio são cobertas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) que cobre até R$ 250 mil por CPF.
Tesouro Direto: é um programa Tesouro Nacional em parceria com a B3, com o objetivo de vender títulos públicos federais para pessoas físicas, de maneira digital. Sua estrutura é montada para a pessoa física emprestar dinheiro para o governo e, em troca, a União devolver a quantia inicial mais os juros.
CDB: o Certificado de Depósito Bancário é uma categoria de empréstimo de pessoa física para bancos. Em troca, o banco remunera o investidor com juros sobre o valor investido. O CDB é uma forma de o banco captar dinheiro dos investidores e emprestar para os clientes tomadores de crédito.
LCI/LCA: a Letra de Crédito Imobiliário e a Letra de Crédito do Agronegócio são títulos de renda fixa emitidas pelos bancos para emprestar dinheiro ao setor imobiliário e ao setor do agronegócio. As LCIs e LCAs são cobertas pelo FGC. De maneira geral, não uma diferença de rentabilidade entre as 2 siglas, somente em sua nomenclatura e em seu uso final.

Principais Investimentos de Renda Variável

Ações: é a menor parcela do capital social de uma empresa, ou seja, um título patrimonial que concede todos os direitos e deveres de um sócio. Para uma empresa disponibilizar ações no mercado é preciso recorrer à bolsa de valores. A partir desse momento, a bolsa fica responsável pelos registros das transações de compra e venda, além da guarda dos títulos.
Fundos Imobiliários: os FIIs são uma forma de investir em imóveis sem ter a necessidade de comprá-lo integralmente. Eles são um conjunto fechado de investidores que pretendem aplicar seus recursos em empreendimentos imobiliários. Por ser negociado na bolsa de valores, não há cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).
ETFs: Exchange Traded Funds é um fundo de investimentos composto por empresas que possuem ações na bolsa e que representam algum índice. Ou seja, os ETFs selecionam as principais ações do mercado e as alocam em seu fundo. É possível encontrar os melhores ETFs através de sua plataforma de home broker, inserindo esses índices como método de busca.
• Fundos de Investimentos: o fundo de investimento é constituído por uma carteira de ativos financeiros, em que cada integrante do fundo possui uma cota. Assim, é necessário pagar mensalidade ao fundo, além de algumas taxas de administração. Elas são mais utilizadas na renda variável pela facilidade de investimento, apesar de os fundos também serem utilizados em renda fixa.
Fundos Multimercado: é uma categoria de fundos de investimento que possui a política de mesclar as aplicações de várias frentes de mercado, desde CDBs, ações, títulos públicos ou privados, derivativos até câmbio. O fundo pode ter caráter conservador ou agressivo, dependendo do cenário econômico do país, sendo bastante útil no médio e longo prazo.

Principais Riscos de investir na Renda Fixa

Poupança: a poupança é um investimento de baixo risco, em que o único perigo é o banco onde a poupança está aplicada falir. Caso isso aconteça, o Fundo Garantidor de Créditos garante ao investidor o valor de até R$ 250 mil investidos no banco.
Letra de Câmbio: nesse modelo de investimento há cobrança de Imposto de Renda e não pode ser usada como garantia em investimentos da bolsa de valores. Além disso, financeiras oferecem mais risco de crédito do que os bancos, ou seja, é mais perigoso investir em LCs do que em CDBs.
Tesouro Direto: um dos principais riscos do Tesouro Direto é a baixa liquidez de alguns investimentos, em que não é possível transformar um ativo em dinheiro líquido em um tempo razoável. Também existe o risco de crédito, em que o credor pode não honrar com o pagamento de sua dívida. Por último, o risco de mercado, em que o investimento pode variar muito dependendo da taxa de juros do país, não dando uma certeza de rentabilidade ao investidor.
CDB: as principais desvantagens nesse caso são a tributação do Imposto de Renda, que pode variar entre 15% a 22,5%, e a cobrança do IOF, caso o investimento seja resgatado em menos de 30 dias. Outra grande desvantagem do CDB é que sua aplicação mínima possuiu valor elevado, começando a partir de R$ 10 mil e tendo boas taxas somente em R$ 50 mil.
LCI/LCA: a baixa liquidez é a característica das LCIs e LCAs, em que o resgate antecipado só pode ocorrer após 90 dias da aplicação. Além disso, por serem considerados bons investimentos, não é tão fácil encontrar LCIs e LCAs disponíveis no mercado e, quando encontradas, seus valores de aporte inicial são relativamente altos em comparação com outros investimentos de renda fixa

Principais Riscos de investir na Renda Variável

Ações: as piores dores de quem investe em ações é não ter uma estimativa de valor para seu aporte inicial e não possuir uma garantia caso perca seu investimento, devido às oscilações de mercado. Além disso, o risco sistêmico também é uma sombra com a qual os investidores são obrigados a conviver, afinal, ninguém sabe quando uma crise mundial ou uma pandemia atingirá nossa economia, não é mesmo?
Fundos Imobiliários: apesar de ser uma melhor opção do que comprar um imóvel completo, os FIIs possuem vários riscos aos investidores, por exemplo, inadimplência, risco da obra, risco físico do imóvel, liquides ou vacância. O que deve ser analisado é a probabilidade desses cenários ocorrerem, através de estudos de FIIs passados.
ETFs: investir em ETFs possui o mesmo risco do que investir em ações comuns, desde a falta de previsibilidade, sem garantias e risco sistêmico. Pode-se dizer que as ETFs são, de certa maneira, um pouco mais seguras, devido à diversificação com o índice de referência das ETFs.
Fundos de Investimentos: os riscos dos fundos de investimento estão no mesmo patamar de outros investimentos de renda variável, em que os riscos de mercado, de crédito, de liquidez, operacional e legal guiam as operações.
Fundos Multimercado: como dito acima, investimentos de fundos mantém um risco equilibrado, em que os riscos de mercado, de crédito, de liquidez, operacional e legal guiam as operações.

O que são robôs de investimento?

Robô de investimento é uma ferramenta programada com algoritmos e que realiza operações de maneira automatizada. Ou seja, é um programa que utiliza análises de banco de dados e comportamento padronizado de preços para decidir o melhor momento de comprar ou vender as ações. Em termos gerais, a base de trabalho de um robô de investimentos é a probabilidade, em que serão analisadas todas as situações de mercado e, assim, tomada uma decisão final. É importante destacar que esses robôs, também chamados de robôs traders, executam as operações de maneira 100% automática, a partir do momento que o investidor programa o grau do risco envolvido e as melhores opções de investimento. Como funcionam os robôs de investimento?

O processo de investimento via robô é algo bem simples: o investidor acessa o app da instituição que presta os serviços, preenche uma ficha, descobre qual é o seu perfil de investidor e quais são seus objetivos de investimento. Logo após, o investidor abre uma conta em uma corretora e transfere o dinheiro que desejar para as aplicações financeiras. A partir desse momento, o robô terá total autonomia para decidir quais são as melhores opções de investimento em seu perfil. Apesar de o robô realizar todas as operações de maneira 100% automática, uma equipe especializada fica responsável por auditar o trabalho do robô. Caso tenha se interessado pelo robô trader, mas tenha medo de direcionar sua renda nessa empreitada, fique tranquilo, pois sempre haverá uma empresa por trás definindo se o trabalho do robô é satisfatório ou não. Meta-description: confira agora quais são os melhores investimentos existentes e expectativa para 2021, desde quais são os principais categorias de investimentos, seus riscos até como utilizar robôs de investimentos.

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios

Mercado Financeiro: Quais São Os Melhores Investimentos Existentes e Expectativa Para 2021

Em 2020, a taxa Selic atingiu uma queda histórica, ficando em 2% no mês de dezembro. Diversos investimentos de renda fixa que seguem a taxa Selic foram afetados e, com isso, houve uma debandada de investidores para a renda variável. De acordo com Luiz Barsi, o maior investidor individual do país, novos investidores ganham migalhas na bolsa. Afinal, o perfil das pessoas que fogem da renda fixa para a variável é tentar lucrar muito em pouco tempo, o que quase sempre dá errado ou traz pouquíssimos lucros. Barsi afirma que no Brasil não há uma cultura de investimento e que, por isso, há pouca chance de novos investidores conseguirem retorno real. Porém, você não precisa seguir a maré e agir como todos os novos investidores, não é mesmo? Com o objetivo de demonstrar todos os prós e contras do segmento financeiro, irei lhe mostrar quais são os melhores investimentos existentes e a expectativa para 2021:

Principais Investimentos de Renda Fixa:

Poupança: considerado o investimento mais famoso do país, a poupança é investimento simples de renda fixa, em que basta escolher um banco de sua preferência, apresentar alguns documentos e aguardar sua aprovação. Seu rendimento é baseado na Selic, ou seja, quando a Selic está acima de 8,5% ao ano, o seu rendimento é de 0,5% ao mês mais a variação da TR. Já quando a Selic estiá igual a ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento é equivalente a 70% da Selic mais a variação da TR.
Letra de Câmbio: uma LC é um título de renda fixa em que você (pessoa física) empresta dinheiro para uma financeira, em troca do recebimento de juros. As Letras de Câmbio são cobertas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) que cobre até R$ 250 mil por CPF.
Tesouro Direto: é um programa Tesouro Nacional em parceria com a B3, com o objetivo de vender títulos públicos federais para pessoas físicas, de maneira digital. Sua estrutura é montada para a pessoa física emprestar dinheiro para o governo e, em troca, a União devolver a quantia inicial mais os juros.
CDB: o Certificado de Depósito Bancário é uma categoria de empréstimo de pessoa física para bancos. Em troca, o banco remunera o investidor com juros sobre o valor investido. O CDB é uma forma de o banco captar dinheiro dos investidores e emprestar para os clientes tomadores de crédito.
LCI/LCA: a Letra de Crédito Imobiliário e a Letra de Crédito do Agronegócio são títulos de renda fixa emitidas pelos bancos para emprestar dinheiro ao setor imobiliário e ao setor do agronegócio. As LCIs e LCAs são cobertas pelo FGC. De maneira geral, não uma diferença de rentabilidade entre as 2 siglas, somente em sua nomenclatura e em seu uso final.

Principais Investimentos de Renda Variável

Ações: é a menor parcela do capital social de uma empresa, ou seja, um título patrimonial que concede todos os direitos e deveres de um sócio. Para uma empresa disponibilizar ações no mercado é preciso recorrer à bolsa de valores. A partir desse momento, a bolsa fica responsável pelos registros das transações de compra e venda, além da guarda dos títulos.
Fundos Imobiliários: os FIIs são uma forma de investir em imóveis sem ter a necessidade de comprá-lo integralmente. Eles são um conjunto fechado de investidores que pretendem aplicar seus recursos em empreendimentos imobiliários. Por ser negociado na bolsa de valores, não há cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).
ETFs: Exchange Traded Funds é um fundo de investimentos composto por empresas que possuem ações na bolsa e que representam algum índice. Ou seja, os ETFs selecionam as principais ações do mercado e as alocam em seu fundo. É possível encontrar os melhores ETFs através de sua plataforma de home broker, inserindo esses índices como método de busca.
• Fundos de Investimentos: o fundo de investimento é constituído por uma carteira de ativos financeiros, em que cada integrante do fundo possui uma cota. Assim, é necessário pagar mensalidade ao fundo, além de algumas taxas de administração. Elas são mais utilizadas na renda variável pela facilidade de investimento, apesar de os fundos também serem utilizados em renda fixa.
Fundos Multimercado: é uma categoria de fundos de investimento que possui a política de mesclar as aplicações de várias frentes de mercado, desde CDBs, ações, títulos públicos ou privados, derivativos até câmbio. O fundo pode ter caráter conservador ou agressivo, dependendo do cenário econômico do país, sendo bastante útil no médio e longo prazo.

Principais Riscos de investir na Renda Fixa

Poupança: a poupança é um investimento de baixo risco, em que o único perigo é o banco onde a poupança está aplicada falir. Caso isso aconteça, o Fundo Garantidor de Créditos garante ao investidor o valor de até R$ 250 mil investidos no banco.
Letra de Câmbio: nesse modelo de investimento há cobrança de Imposto de Renda e não pode ser usada como garantia em investimentos da bolsa de valores. Além disso, financeiras oferecem mais risco de crédito do que os bancos, ou seja, é mais perigoso investir em LCs do que em CDBs.
Tesouro Direto: um dos principais riscos do Tesouro Direto é a baixa liquidez de alguns investimentos, em que não é possível transformar um ativo em dinheiro líquido em um tempo razoável. Também existe o risco de crédito, em que o credor pode não honrar com o pagamento de sua dívida. Por último, o risco de mercado, em que o investimento pode variar muito dependendo da taxa de juros do país, não dando uma certeza de rentabilidade ao investidor.
CDB: as principais desvantagens nesse caso são a tributação do Imposto de Renda, que pode variar entre 15% a 22,5%, e a cobrança do IOF, caso o investimento seja resgatado em menos de 30 dias. Outra grande desvantagem do CDB é que sua aplicação mínima possuiu valor elevado, começando a partir de R$ 10 mil e tendo boas taxas somente em R$ 50 mil.
LCI/LCA: a baixa liquidez é a característica das LCIs e LCAs, em que o resgate antecipado só pode ocorrer após 90 dias da aplicação. Além disso, por serem considerados bons investimentos, não é tão fácil encontrar LCIs e LCAs disponíveis no mercado e, quando encontradas, seus valores de aporte inicial são relativamente altos em comparação com outros investimentos de renda fixa

Principais Riscos de investir na Renda Variável

Ações: as piores dores de quem investe em ações é não ter uma estimativa de valor para seu aporte inicial e não possuir uma garantia caso perca seu investimento, devido às oscilações de mercado. Além disso, o risco sistêmico também é uma sombra com a qual os investidores são obrigados a conviver, afinal, ninguém sabe quando uma crise mundial ou uma pandemia atingirá nossa economia, não é mesmo?
Fundos Imobiliários: apesar de ser uma melhor opção do que comprar um imóvel completo, os FIIs possuem vários riscos aos investidores, por exemplo, inadimplência, risco da obra, risco físico do imóvel, liquides ou vacância. O que deve ser analisado é a probabilidade desses cenários ocorrerem, através de estudos de FIIs passados.
ETFs: investir em ETFs possui o mesmo risco do que investir em ações comuns, desde a falta de previsibilidade, sem garantias e risco sistêmico. Pode-se dizer que as ETFs são, de certa maneira, um pouco mais seguras, devido à diversificação com o índice de referência das ETFs.
Fundos de Investimentos: os riscos dos fundos de investimento estão no mesmo patamar de outros investimentos de renda variável, em que os riscos de mercado, de crédito, de liquidez, operacional e legal guiam as operações.
Fundos Multimercado: como dito acima, investimentos de fundos mantém um risco equilibrado, em que os riscos de mercado, de crédito, de liquidez, operacional e legal guiam as operações.

O que são robôs de investimento?

Robô de investimento é uma ferramenta programada com algoritmos e que realiza operações de maneira automatizada. Ou seja, é um programa que utiliza análises de banco de dados e comportamento padronizado de preços para decidir o melhor momento de comprar ou vender as ações. Em termos gerais, a base de trabalho de um robô de investimentos é a probabilidade, em que serão analisadas todas as situações de mercado e, assim, tomada uma decisão final. É importante destacar que esses robôs, também chamados de robôs traders, executam as operações de maneira 100% automática, a partir do momento que o investidor programa o grau do risco envolvido e as melhores opções de investimento. Como funcionam os robôs de investimento?

O processo de investimento via robô é algo bem simples: o investidor acessa o app da instituição que presta os serviços, preenche uma ficha, descobre qual é o seu perfil de investidor e quais são seus objetivos de investimento. Logo após, o investidor abre uma conta em uma corretora e transfere o dinheiro que desejar para as aplicações financeiras. A partir desse momento, o robô terá total autonomia para decidir quais são as melhores opções de investimento em seu perfil. Apesar de o robô realizar todas as operações de maneira 100% automática, uma equipe especializada fica responsável por auditar o trabalho do robô. Caso tenha se interessado pelo robô trader, mas tenha medo de direcionar sua renda nessa empreitada, fique tranquilo, pois sempre haverá uma empresa por trás definindo se o trabalho do robô é satisfatório ou não. Meta-description: confira agora quais são os melhores investimentos existentes e expectativa para 2021, desde quais são os principais categorias de investimentos, seus riscos até como utilizar robôs de investimentos.